https://geoconexoes.com/ojs/index.php/periodicos/issue/feed Geoconexões online 2021-07-01T14:16:06+00:00 Xisto Serafim de Santana de Souza Júnior xisto.serafim@professor.ufcg.edu.br Open Journal Systems <p>A Revista <em><strong>GEOCONEXÕES ONLINE</strong></em> é uma publicação de<strong> fluxo contínuo</strong> resultante da parceria do Grupo de Pesquisas Integradas em Desenvolvimento Socioterritorial (GIDs) e do Grupo de Pesquisas em Geografia para a Promoção da Saúde (Pró-Saúde Geo), ambos reconhecidos desde 2010 pelo CNPq e vinculados a Unidade Acadêmica de Geografia e ao Centro de Humanidades da Universidade Federal de Campina Grande (UAG/CH/UFCG). Tem como matriz editorial a divulgação de trabalhos científicos inéditos (artigos, oficinas pedagógicas, resenhas e notas científicas) na área das Ciências Humanas. São aceitos artigos nos idiomas português, espanhol e inglês.</p> https://geoconexoes.com/ojs/index.php/periodicos/article/view/2 RESENHA WALLACE, Robb. Pandemia e agronegócio: doenças infecciosas, capitalismo e ciência. Tradução de Allan Rodrigo de Campos Silva. São Paulo: Elefante, 2020,608p 2021-02-26T16:20:05+00:00 Kleiton Wagner Alves da Silva Nogueira kleiton_wagner@hotmail.com 2021-07-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Kleiton Wagner Alves da Silva Nogueira https://geoconexoes.com/ojs/index.php/periodicos/article/view/25 Editorial 2021-06-21T14:37:45+00:00 Sumário admin@geoconexoes.com 2021-07-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 admin admin https://geoconexoes.com/ojs/index.php/periodicos/article/view/11 O papel do FOCEM na discussão sobre a integração fronteiriça no MERCOSUL 2021-04-10T14:40:43+00:00 Dayana Aparecida Marques de Oliveira Cruz d.dayana@hotmail.com <p>Desde sua formação, o Mercado Comum do Sul (MERCOSUL) possui inúmeros desafios, dentre os quais destaca-se a integração fronteiriça. A integração fronteiriça no bloco contempla diferentes dimensões, todavia nota-se que a falta de infraestrutura adequada é o principal entrave para que ela de fato ocorra. Um dos motivos para a existência dos gargalos infraestruturais é a falta de recursos necessários para o investimento pelos Estados Nacionais. Neste sentido, o Fundo para a Convergência Estrutural do MERCOSUL (FOCEM), criado em 2004, possui um papel relevante ao propor a contribuição e distribuição de recursos considerando as assimetrias regionais. O objetivo geral desse texto é debater sobre o papel do FOCEM na integração fronteiriça no MERCOSUL, a partir do financiamento de projetos de infraestruturas. A metodologia utilizada foi a revisão bibliográfica sobre o tema, bem como a análise de documentos e normativas publicadas pelo MERCOSUL.</p> 2021-07-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Dayana Aparecida Marques de Oliveira Cruz https://geoconexoes.com/ojs/index.php/periodicos/article/view/21 Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no Território do Sisal entre 2007 e 2014: 2021-05-31T17:34:36+00:00 Eliane Cruz Maciel elianecruz_25@hotmail.com Janio Santos janiosantos@yahoo.com.br <p>Este texto analisa a dimensão do PAC nas pequenas cidades, com base no Território do Sisal entre 2007 e 2014, ao abordar a atuação do Estado e refletir acerca do alcance e limites das políticas públicas no Brasil. Aponta que o Programa causou um duplo impacto: ampliou a oferta de infraestrutura e equipamentos e gerou emprego e renda, sobremodo em municípios sempre ficaram à margem de tais políticas. Todavia, como se trata do Estado capitalista, com suas contradições, também reforçou interesses de grupos políticos e econômicos dominantes que controlam o Estado. Conclui-se que, de imediato e para garantir direitos básicos aos pobres, é essencial alterar a forma de implementação dessas políticas públicas, ao conceder protagonismo às classes populares na proposição e gestão, o que implica, a longo prazo, modificar o próprio Estado.</p> 2021-07-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Eliane Cruz Maciel, Janio Santos https://geoconexoes.com/ojs/index.php/periodicos/article/view/12 Imagens da Modernidade 2021-04-14T20:18:29+00:00 Pedro de Farias Leite e Silva pedrodefariasleite@gmail.com Maynara Andrielly Silva Santos maynarasantos13@gmail.com <p class="western" align="justify"><span style="font-family: Arial, serif;"><span style="font-size: small;">Em busca de evidenciar a importância das imagens enquanto fonte documental na pesquisa historiográfica, os autores deste trabalho fazem uma retomada histórica acerca das origens da fotografia e seu processo de incorporação à historiografia, assim como percorrem brevemente a dinâmica entre os estudos teórico-metodológico acerca das possibilidades de uso das imagens na construção do saber Histórico. Ao utilizar as imagens dentro de recortes espaço-temporais específicos, exploram na prática a função das imagens para a análise de situações histórico-concretas a fim de revelar/identificar a realidade que as informa através do completo afastamento de uma concepção metodista das fontes documentais, que apesar de ter-se atido precisamente às fontes oficiais escritas no século XIX ainda tem permanências nas interpretações historiográficas da contemporaneidade, refletindo-se também no uso das imagens que, para muitos, ‘’refletem a realidade em si’’ devido ao seu caráter visual. Na tentativa de revelar sentidos, contextos, valores e/ou práticas sociais, as imagens aqui foram utilizadas em complementariedade com a teoria, que faz a análise concreta de situações sociais [também] concretas – evidenciando, assim, a importância das fontes visuais/imagéticas/fotográficas no desenvolvimento do saber histórico. </span></span></p> 2021-07-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 Pedro de Farias Leite e Silva, Maynara Santos https://geoconexoes.com/ojs/index.php/periodicos/article/view/14 Arquivos Pessoais: os diários e a construção da memória 2021-04-16T20:55:17+00:00 Jessica Monteiro jessicamonteiro1613@gmail.com Angêlica Araújo angelica.ritart@gmail.com <p>Este artigo busca discutir e compreender o uso dos diários pessoais como fonte para a construção da história através da valorização dos registros de memórias. Sabe-se que por muito tempo a escrita da história recusou os arquivos pessoais ou os egodocumentos no processo de construção historiográfica, consequência das atribuições da escola positivista que limitava as fontes e documentos oficiais. Entretanto, ao decorrer do tempo, no século XX com o desenvolvimento da Escola dos Annales, da História Cultural e da Micro-História foi possível ampliar as fontes da pesquisa histórica progressivamente, rompendo com paradigmas e criando novas possibilidades para pesquisa. Assim sendo, utilizaremos autores(as) que apresentam através dessas fontes a vida de pessoas que deixaram as suas marcas em diários e que contribuíram para a construção e valorização dos arquivos pessoais como fonte importante para os estudos relacionados a vidas pessoais, investigação e de estudos que busca compreender as tramas da história e a sua evolução enquanto uso de fontes pelo historiador.</p> 2021-07-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 JESSICA MONTEIRO, Angêlica Araújo https://geoconexoes.com/ojs/index.php/periodicos/article/view/3 Visitas virtuais a museus durante a pandemia 2021-03-18T01:55:08+00:00 Rafael Marrocos de Medeiros marrrocos@hotmail.com Noelma Dutra da Silva noelmadutra@gmail.com <p>O presente trabalho tem como objetivo mostrar como podemos continuar com os trabalhos de campo na disciplina de geografia, mesmo durante a pandemia, com visitas virtuais a museus. Trazendo também as vantagens e desvantagens dessa prática. Se trata de um trabalho empírico, partindo de nossas próprias experiências como aluno (a) e professor (a), um trabalho exploratório bibliográfico e qualitativo. Trabalharemos com três principais autores que serão nossos referenciais teóricos: Santos (2000), Motta (2020) e Couto et al (2020). O artigo se encontra dividido em três partes: a primeira trazendo um diálogo com a globalização. A segunda as vantagens que temos ao fazer trabalhos de campo a museus de forma virtual, durante a pandemia. E por último as desvantagens.</p> 2021-07-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 RAFAEL MARROCOS DE MEDEIROS, Noelma Dutra da Silva https://geoconexoes.com/ojs/index.php/periodicos/article/view/10 Ensino e direitos humanos 2021-04-25T23:13:27+00:00 Dinaldo Barbosa da Silva Júnior dinaldo.barbosa@ufcg.edu.br Tássia Fernandes Carvalho Paris de Lima tassiafernandesparis@gmail.com <p>Nesse artigo, abordaremos a importância da Educação em Direitos Humanos para o ensino superior brasileiro, trazendo relatos a respeito das disciplinas que enfatizam o estudo e a prática em Direitos Humanos. Será apresentado o caso do Programa de Pós-Graduação em História da Universidade Federal de Campina Grande – UFCG como <em>locus operandi </em>desta experiência, através da oferta das disciplinas de <em>“Ensino em Direitos Humanos</em>” e <em>“Historiografia e Direitos Humanos”.</em> Apresentaremos alguns pontos sobre o histórico dos <em>“Direitos Humanos”</em>, assim como sua relação na constituição da <em>“Educação em Direitos Humanos</em>”. Em seguida, destacaremos a importância da Educação em Direitos Humanos no questionamento do senso comum acerca da defesa dos direitos fundamentais da pessoa humana. O artigo ainda contemplará o espaço de fala de discente sobre trajetórias, necessidades e embates no estudo da Educação em Direitos Humanos. Ao final proporemos uma discussão acerca das metodologias ativas e participativas a serem empregadas em disciplinas versadas em Educação em Direitos Humanos, ressaltando a importância da implementação em todos os cursos de Pós-Graduação da UFCG, de modo a respeitar às especificidades de cada formação profissional.</p> 2021-07-01T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2021 DINALDO BARBOSA DA SILVA JÚNIOR